sexta-feira, 23 de abril de 2010

Louco sim. Trouxa não.

Da série: "O que a tecnologia faz à algumas pessoas."

- Mas ela me falou!

- Te falou quando, se me disse que não vê ela desde semana passada?

- Me falou pelo MSN.

- O que, de fato ela te falou?

- Tá! Ela não falou, mas vi no nick dela.

- O que tem o nick dela agora, cara?

- Tava lá bem grande: AGORA EU TO SOLTEIRA E NINGUÉM VAI ME SEGURAR. (8)

- E isso o que é que tem?

- Ora, ta na cara, ela se considera solteira.

- Quem disse? Ela pode ser fã da Tati.

- Não é não, eu conheço ela, não gosta de funk.

- Pode ter mudado o gosto.

- Não, não.

- Tu é muito teimoso, vai falar com ela.

- Nem a pau. Ela ta solteira agora.

- Mas o que isso tem a ver? Vai deixar que acabe sem nenhuma explicação?

- Não precisa de explicação. Pra bom entendedor meia palavra basta.

- Cara, mas isso não é explicação!!! Ela só pôs uma música do gosto dela no nick!!!

- Não! Ela não é assim. Conheço bem!

- Então vai conversar com ela, porra!

- Pra quê?

- Ver o que ela ta pensando, ora.

- Nem rola!

- Vai fazer o que então?

- Nada.

- E deixar assim como se ela tivesse terminado contigo mesmo sem ter terminado?

- Não. Ela terminou comigo, só esqueceu de me avisar.

- Cara, tu não pode levar ao pé da letra o que o nick da guria diz!

- Posso sim, da minha ex eu posso. Conheço ela. Éramos muito apegados.

- Então por que não vai falar com ela?

- Porque é uma vadia. Aposto que já ta dando pra alguém.

- Isso tudo baseado no nick?

- Sim. Vi que ela tava entrando em umas comunidades meio estranhas no Orkut, também.

- E o que isso tem a ver?

- Tudo.

- Tu é louco.

- Louco sim, trouxa não.

- Mas quando que a guria te fez de trouxa? Ela só pôs a música no nick! CARALHO!!!

- Ta bravinho por que?

- O que tu acha?

- Ah! Já sei. É tu né?

- Eu o quê?

- Tá me traindo com ela!

- O quê?

- Ah ta! Entendi tudo. Sempre desconfiei.

- Desconfiou do que, meu?

- De ti e dela! Tu não é mais o mesmo.

- Ahn?

- Tudo bem, não guardo rancor. Tô saindo.

- Ando fumando um?

- Não, tudo bem. Te entendo. Ela é gostosinha.

- Não, tu ta entendendo errado.

- Tá bom, não precisa me enganar, não sou bobo, lembra? Louco sim, trouxa não.

- Ahn?

- To saindo.

- Vai onde?

- Sei lá.

- E como as coisas vão ficar?

- Não sei, tem alguma amiga pra me apresenta?

- Ahn?

- É, a gente podia sair em casais.

- Como assim?

- Sim, vai tu e minha ex, eu e tua amiga.

- Como?

- Arruma uma bem bonitinha pra fazer ciúmes.

- ...?

- Me liga depois, vou atualizar o status do meu relacionamento no Orkut. Tem alguma frase de impacto pra mim por no MSN?

- Quê?

- Deixa quieto. Tô saindo.

- Então ta.

6 comentários:

  1. Aventurando-se pelos contos então?
    A técnologia encurta espaços, diminui a distância, facilita a nossa vida, auxilia-nos no dia-a-dia, e pode nos mostrar um belo par de guampas. É tudo uma questão de interpretação. asuhasuahs
    Parabéns, Marcão. Para quem não tinha inspiraçao para fazer contos se saiste muitissimo bem.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, to experimentando esse pedacinho de 'mundo' que ainda não conhecia. hasuhsuhuhsshas
    Às vezes é legal pegar fatos corriqueiros para inspiração. Valeu velho! Enquanto tá saindo alguma coisa - boa ou não - to aproveitando e largando ai no Blog. hahahahaha

    ResponderExcluir
  3. Costumava ver mulheres surtadas, mas homens... esse aí entrou na onda. rsrs
    Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Não tão somente as mulheres surtam, veem complexidade onde não a tem. Homens também podem ser esquisitos e anormais. Obrigado!

    ResponderExcluir
  5. Ser psicótico é fundamental para sobrevivência (ou ao menos para a graça da vivência) hahahaha!
    Obrigado pela visita.

    ResponderExcluir